E, tomando o pão, e havendo dado graças, partiu-o, e deu-lho, dizendo: Isto é o meu corpo, que por vós é dado; fazei isto em memória de mim.
Semelhantemente, tomou o cálice, depois da ceia, dizendo: Este cálice é o novo testamento no meu sangue, que é derramado por vós.
Mas eis que a mão do que me trai está comigo à mesa.
E, na verdade, o Filho do homem vai segundo o que está determinado; mas ai daquele homem por quem é traído!
E começaram a perguntar entre si qual deles seria o que havia de fazer isto.

Lucas 22:19-23

Sempre li essa passagem me lembrando do ritual que faz parte da liturgia do culto! Um momento onde nos lembramos da morte de Jesus como representação da nova aliança que foi feita através da cruz! Mas algo me fez pensar que esse memorial
também nos deveria fazer lembrar da nossa própria morte, que nos aproxima de Deus. Qual de nós se sentaria a mesa com traidores, se não o fizesse somente para ser exemplo de amor e perdão?! Neste momento, Jesus já estava demonstrando que os nossos relacionamentos mais íntimos, aqueles que compartilhamos a nossa mesa e intimidade, sim, esses mesmos, são os que nos confrontam e exigem de nós, mais amor, mais perdão, mais misericórdia, mais aceitação e quando fazemos isso, perdemos um pouquinho do nosso EU, para que Cristo viva em nós.
Não acordamos cristãos todos os dias. E todas as manhãs deveríamos morrer para nossas vontades e diretos. A carne partida causa dor!! Não é fácil perdoar, amar quem nos ofende, ser humilhado, ser confrontado, ver quem realmente somos diante do espelho e diante do que as pessoas vêem em nós (nossos defeitos), abrir mão de algo que gostamos e julgamos ser importante, de nossos projetos e sonhos, em nome de uma aliança firmada com Deus. Não é isso que queremos por nossa vontade! Mas Jesus fez esse sacrifício por nós! Abriu mão de sua Glória, sua divindade, viveu como um mero mortal e morreu morte de cruz. Ele venceu e nós também podemos vencer por amor e gratidão à Ele!
O reino de Deus é paz, justiça e alegria!
Lá me Malaquias 6:8 diz: Ele te declarou, ó homem, o que é bom; e que é o que o Senhor pede de ti, senão que pratiques a justiça, e ames a benignidade, e andes humildemente com o teu Deus?
Nós complicamos algo tão simples!
Quando somos gratos pelo amor de Deus por nós através de Cristo Jesus, somos capazes de viver em justiça, amor, bondade e com intimidade com o Pai. Desta forma, morremos pra nós e vivemos para Cristo e fazemos um memorial da morte dele por nós todas às vezes que seguimos seu exemplo. Se Ele morreu por nós, todas as vezes que morrermos para nós mesmos, viveremos pra Ele!!

Que o Espírito Santo nos leve ao entendimento e prática desta versículo:
“porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro.” (Filipenses 1:21) e que esse morte gere uma aliança com Deus em ser uma testemunha de vida transformada pela palavra e amor do Senhor!
Amém!

 

Audrea Tanaka